Páginas

sábado, 13 de março de 2010

Momento



Sinto-me vazia.

Vazia.

E lentamente uma praga

Vem me retirar a vida.

Amor, que já não sei se existe,

Ou se ainda posso senti-lo.

Incompreensível,

É a vida qual vivo...

Tão cheia de contradições.

Vazio...

É algo agradável que começo a pensar

Para me completar,

Pois é no vazio, que ninguém

Procura nada, é aonde existe silêncio.

É onde o meu grito de dor fica

Abafado pela falta de tudo.

Ausência,

Outra coisa que me completa,

A ausência de luz me enche de escuridão.

A ausência de amor me impede de sofrer.

A ausência de vida, não de deixa morrer.

A ausência do mundo me joga no vazio.

Vazia, jazia o corpo e o coração.

Completai-vos então a razão.

Gabriela Vaz


Nenhum comentário: